Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 21, 2020

HGRS tem mais uma ala e um centro cirúrgico reformados

Uma ala do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) e um centro cirúrgico completamente reformados foram entregues pelo governador Rui Costa na manhã desta segunda-feira (22). Ao todo, os baianos contam com mais 60 leitos clínicos e cirúrgicos, para as áreas de nefrologia e cirurgia vascular, além de um centro cirúrgico com dez salas. Uma ala ainda está em reforma e o refeitório, para mais de cinco mil funcionários, está em fase de conclusão. Ao todo, estão sendo investidos R$ 23,6 milhões de reais na reestruturação da unidade. Segundo o diretor-geral do HGRS, José Admirço Filho, as áreas de nefrologia e cirurgia vascular representam as cirurgias mais complexas que a unidade oferece e representam uma das carências da rede de saúde pública. “Rui também entregou o centro cirúrgico, que hoje é o mais moderno de Salvador. São dez salas reformadas e climatizadas de forma plena”.   José Admirço observou que o hospital tem 40 anos e está passando por uma reestruturação e uma modernização muito

Decreto estipula novo horário para funcionamento do comércio até 29 de junho

Em Alagoinhas, o comércio em geral com até 200m² de área de circulação (atendimento) poderá funcionar, apenas de segunda-feira a sábado, até às 15h. O decreto com o novo horário altera o artigo 2º do Decreto nº 5.302/2020 e terá validade até o dia 29 de junho. A Prefeitura ressalta que segue obrigatório o uso de máscara em qualquer local da cidade e que as regras sanitárias, editadas no decreto 5.302/2020, permanecem as mesmas, e também seguirão em vigor até o dia 29 de junho. A nova medida leva em consideração, entre outros fatores, a necessidade de alinhar o horário do comércio em geral com o horário de funcionamento das instituições bancárias no município,  durante a semana de festejos juninos, de modo a reduzir a concentração de pessoas no comércio em horários mais restritos. “As medidas para o enfrentamento da pandemia estão sendo tomadas com base num permanente diálogo com a sociedade, setor produtivo e com base na análise das informações processadas diariamente pela S

Moraes vê possível associação criminosa em atos antidemocráticos

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), avalia que os indícios reunidos pela Procuradoria Geral da República são um forte indicativo de existência de uma associação criminosa que estaria atuando em atos antidemocráticos. A informação foi apurada pela TV Globo, que teve acesso à decisão do ministro. Moraes autorizou as buscas realizadas pela Polícia Federal e as quebras de sigilos que atingiram parlamentares, empresários e blogueiros bolsonaristas. A Procuradoria dividiu essa suposta organização em quatro núcleos: “organizadores e movimentos”; “influenciadores digitais e hashtags”; “monetização”; e “conexão com parlamentares”. Para o Ministério Público Federal, “pode haver abusos e crimes que precisam ser apurados a partir do esclarecimento do modo de funcionamento estruturado e economicamente rentável de uma escala de organização e agrupamento com pretensões aparentes de execução de ações contra a ordem constitucional e o Estado Democrático e provocaçã

Cientistas baianos usam cacau em estudo para criar medicamento contra a covid-19

Um grupo de pesquisadores baianos estuda como o cacau pode ser usado no combate à pandemia do novo coronavírus. O grupo é liderado pelo pesquisador Carlos Pirovani, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), e tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb). O estudo avalia o potencial de enzimas presentes no cacau para atuar contra as proteases presentes no vírus. Carlos explica: “Essas proteases do vírus atuam como tesouras, cortando as grandes moléculas do vírus, o que o torna capaz de infectar o nosso organismo. No laboratório de Proteômica da Uesc, testamos a hipótese de que alguns inibidores que encontramos em proteases do cacau possam bloquear o efeito das ‘tesouras’ do Coronavírus”. A equipe coordenada por Carlos já estuda o potencial fármaco do cacau desde 2005, para outras doenças. "Já testávamos essas moléculas contra diferentes doenças e decidimos aplicar nosso trabalho para ajudar, por meio da ciência, a combater a pandemia da covid-1