segunda-feira, 26 de junho de 2017

AQUELE ABRAÇO: Gilberto Gil faz 75 anos nesta segunda-feira e ganha homenagens das filhas

AQUELE ABRAÇO: Gilberto Gil faz 75 anos nesta segunda-feira e ganha homenagens das filhasSe a Bahia lhe deu ‘régua e compasso’, ele retribuiu com as mais belas obras. Por isso, “Aquele abraço” para um dos maiores artistas brasileiros – o baiano Gilberto Gil, que completa 75 anos nesta segunda-feira (26/6), com uma trajetória repleta de sucessos, desafios e prêmios. Sempre cercado pela família e pelos amigos, o cantor falou sobre a vida, em seu perfil no Facebook, e recebeu homenagens das filhas Bela e Preta Gil.
“Fiz tudo para ser quem eu sou, para estar no lugar em que estou e sentir a vida de modo a estar em conformidade com ela”, refletiu Gil.
Vendo o panorama geral da minha vida, eu fiz tudo para ser quem eu sou, para estar no lugar em que estou e sentir a vida de modo a estar em conformidade com ela. É o que sempre digo: a conformidade conforme a idade. Tenho a idade que tenho hoje e uma vida em conformidade com ela.
Sua filha Bela Gil, nutricionista e apresentadora do programa “Bela Cozinha”, do canal fechado GNT, postou uma foto em que aparece ainda criança, ao lado do pai, e disse que, caso existam almas gêmeas, ela conheceu a sua assim que nasceu, e que Gil é o seu ‘eterno professor’.
e também cantora Preta Gil compartilhou uma foto com o pai-ídolo em cima de um trio elétrico e afirmou seu amor por ele. “Te amo eternamente”, escreveu. Além disso, Preta postou um vídeo em que Gilberto Gil fala sobre o período do nascimento da filha, quando chorou por sete dias seguidos. Confira abaixo.
RESUMO DA TRAJETÓRIA
O soteropolitano criado em Ituaçu, no interior da Bahia, começou a se interessar por música por ouvir Luiz Gonzaga, o rei do baião. Aos 18, formou o grupo “Os desafinados”, e começou a tocar violão nos anos 1950 por influência de João Gilberto.
Em 1962, gravou seu primeiro compacto solo, no mesmo período em que conheceu Caetano Veloso, Maria Bethânia e Gal Costa. Amizade fundamental para, mais tarde, fundar o movimento tropicalista, que misturava elementos da indústria cultural e materiais da tradição brasileira com uma proposta crítica, mostrando preocupação com as mazelas sociais do Brasil.
Taxados de ‘subversivos’, Gil e Caetano foram exilados para a Inglaterra, em 1969, e retornaram ao Brasil em 1972, quando o primeiro lançou “Expresso 2222” e “Refazenda”.
O artista também já deu seus pitacos na política. Foi vereador na Câmara Municipal de Salvador, de 1989 a 1992, pelo Partido Verde, e foi Ministro da Cultura do Governo Lula, em 2003. Para voltar a dedicação exclusiva à vida artística, ele se demitiu em julho de 2008.Fonte/aratuonline

Nenhum comentário:

Postar um comentário