Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 25, 2016

Salário mínimo passa de R$ 880,00 em 2016 para R$ 937,00 em 2017

O salário mínimo vai aumentar dos atuais R$ 880,00 para R$ 937,00 a partir de 1º de janeiro. O governo autorizou uma elevação de 6,74%, estimativa do Ministério da Fazenda para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do IBGE. O reajuste deve injetar R$ 38,6 bilhões na economia do ano que vem, o equivalente a 0,62% do PIB, de acordo com o Ministério do Planejamento. O reajuste ficou menor do que o projetado pelo próprio governo. Em outubro, quando enviou a Lei Orçamentária Anual (LOA) ao Congresso, a União estimava que o salário mínimo em 2017 seria de R$ 945,80. A projeção considerava uma inflação de 7,5% neste ano. "Em virtude da inflação menor em 2016, o reajuste será menor do que o previsto na LOA", informou o Ministério do Planejamento. A política de valorização do salário mínimo foi uma marca do governo petista. Ela estabelece que o valor seja corrigido pela inflação do ano anterior, medida pelo INPC, e pelo crescimento do Produto Interno B

Jeovan Vieira e Osvaldo Candidato a Presidência da Câmara

A chapa encabeçada pelo vereador Jeovan Vieira (PRB) foi a única inscrita na Secretaria da Câmara, até as 12h de hoje, para a disputa da mesa diretora da Câmara Municipal de Vereadores de Inhambupe. Até dia 1º de janeiro, qualquer vereador pode se inscrever sendo que o mesmo esteja com a chapa completa: Presidente, vice-presidente, 1º Secretário e 2º Secretário.   De acordo com secretaria da Câmara, a chapa apresentada conta com Jeovan Vieira  - Presidente (PRB),  como vice-presidente, Osvaldo Pinho (PV), 1º Secretário - Jardiel Alacon (PPS) e 2º Secretário - Gleibson Luiz Sirqueira (PEN).   Osvaldo Pinho, Jardiel Alarcon e Gleibson Luiz são vereadores eleitos pela primeira  vez e já vao estreia a mesa diretora desta legislatura, caso esta chapa seja eleita.  blog Ronaldo Leite estava presente e na oportunidade conversou com o vereador  José Ueslon (PP). Uelson disse que poderá sair candidato, votar em outro ou simplesmente não votar em ninguém. Um direito que lhe ass