quarta-feira, 18 de maio de 2016

Ala folia: Músicos locais se reúnem em frente a prefeitura para protestar por melhores cachês

Os músicos de Alagoinhas, se reuniram em frente ao prédio da prefeitura na manhã desta quarta-feira (18) para manifestar sua insatisfação quanto os critérios de seleção das atrações, como também ao valor do cachê pago as bandas locais.

IMG_9875 Na opinião deles, é inadmissível, bandas de fora sem expressão alguma, tocarem nos melhores trios, com cachês relativamente altos, enquanto as bandas locais, em sua maioria vão tocar em um palco numa área morta do circuito da folia.

 E as bandas que irão tocar nos trios terão cachês mais baixo que bandas do mesmo porte que vem de fora. Em entrevista cedida pelos líderes do protesto, Marcos Surya, Anderson Xará e Eric Gomes, o intuíto do protesto é fazer com que os poderes públicos, valorizem os músicos locais, dando a eles condições de tocarem com uma estrutura de qualidade por valor justo. Os mesmos dizem que não são contra as grandes atrações que vem de fora da cidade, como Bell Marques, Aline Rosa entre outras, que são bandas que agregam valores ao evento e chamam público que vem de outras cidades e até estados, para prestigiarem nossa festa. 

O que os músicos criticam na verdade é a contratação de bandas que não tem expressão no cenário musical, que fazem barzinhos na capital e vem pra cidade com valores elevados e tocar em trios com estrutura, que as bandas locais não tem. 

Eles também pedem transparência nos valores que essas bandas estão recebendo pra tocar no Alafolia 2016, e pedem que bandas que não tem expressão alguma, sejam retiradas da grade e os valores que seriam pagos as essas atrações, sejam rateados com os músicos locais, melhorando assim seus cachês como e estrutura ,para os mesmos se apresentarem. Lembrando que boa parte dos músicos presentes no protesto, estão inseridos na grade do Alafolia 2016, mas, estão sendo solidários aos músicos pratas da casa, que tem qualidade e estão fora da mesma.

 Além disso, os músicos entendem que existe legitimidade neste protesto, mesmo contratados, não estão de acordo aos valores que irão receber pela tocada.

 Andreson Xará um dos músicos que foi contratado pra tocar no micareta, fala que é preciso valorizar os músicos da cidade, pagar melhores cachês, pois são eles que aquecem a economia local, que tocam nas noites e animam a cidade, que o dinheiro fica no comércio local e por isso merecem respeito e valor.  

Com informações do site A Equipe FestFonte/altapressaoonline.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário