terça-feira, 11 de agosto de 2015

União libera R$ 1,6 milhão para combate à dengue

Como em outros bairros da capital, a Caixa D'Água apresenta risco de contágio - Foto: Evilânia Sena (Agecom) l Divulgação l 15.07.2015
O Ministério da Saúde autorizou nesta segunda-feira, 10, o repasse emergencial de R$ 1,6 milhão à Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), para tentar conter no estado o avanço simultâneo da tríplice-viral dengue, chikungunya e zika vírus. A liberação dos repasses foi publicada no Diário Oficial da União.
Segundo a assessoria da Sesab, a quantia será revertida para o Fundo Estadual da Saúde e utilizada no Projeto de Mobilização Social para a Prevenção e o Controle da Dengue, Chikungunya e Zika no Estado da Bahia, que, de acordo com a secretaria, foi encaminhado ao ministério.
O órgão estadual não detalhou, entretanto, o conteúdo do programa citado. A Bahia é um dos estados mais afetados pela epidemia de dengue que atingiu o país neste ano.
Já são registrados pelo menos 53.585 casos suspeitos da doença no estado, segundo último boletim divulgado pela Sesab, com dados até 4 de agosto - um aumento de 178% em comparação ao mesmo período do ano anterior.
Cerca de 90% dos 417 municípios baianos tiveram casos da doença, que gerou nove mortes. Já a chikungunya e a zika levaram as secretarias municipais de Saúde a notificar até agora 11.789 e 41.660 casos suspeitos, respectivamente.
Além de também serem transmitidas pelo mesmo tipo de mosquito, o Aedes aegypti, essas duas últimas doenças trazem sintomas semelhantes aos da dengue, como febre, dores de cabeça e no corpo e manchas na pele.  A chikungunya, porém, tem sido diferenciada por fortes dores nas articulações, que podem persistir por meses. Já a zika tem sintomas mais brandos, como febre baixa (ou ausência de febre) e recuperação mais rápida, de até uma semana.
Síndrome
A Bahia também está em alerta por casos da síndrome Guillain-Barré, uma doença autoimune que se manifesta como uma reação de defesa do organismo após uma doença infecciosa.
Até o dia 7 passado, foram notificados 130 casos da síndrome na Bahia. Destes, 57 já foram confirmados - 53 deles correspondem a pacientes que também foram atingidos por dengue, zika ou chikungunya. Ainda não há comprovação científica de uma possível relação da síndrome com as três doenças, segundo o Ministério da Saúde.
Brasil
Dados do último boletim do governo federal apontam 1,3 milhão de casos de dengue em todo o Brasil desde o início deste ano até o final de julho. Um aumento de 171% em relação ao mesmo período do ano passado.
Embora a doença tenha dado trégua nos últimos dois meses, o que fez diminuir a incidência de novos casos, o Ministério da Saúde orienta que as medidas de combate ao mosquito sejam preservadas para impedir nova epidemia no verão.Fonte/Jornal atarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário