sábado, 25 de julho de 2015

Salvador e região metropolitana têm maior taxa de desemprego do país

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Salvador e região metropolitana possuem a maior taxa de desemprego de todo o país. Ao todos, segundo o balanço, 11,9% da população da região está desempregada, o que equivale a 237 mil pessoas.
Deste total, quase 90 mil são jovens de até 24 anos. Uma delas é Jessica Gomes, de 18 anos, que está fazendo um curso de informática, com a expectativa de que ajude a conseguir um emprego. "[Estou fazendo o curso] para poder me especializar mais, porque hoje em dia tudo envolve informática e computação", diz.
Ruim pro Murilo que sempre trabalhou como vendedor de loja de roupas em shoppings. Ele perdeu o emprego há 8 meses e não consegue uma nova chance no mercado.Outro que está em busca de oportunidades é Murilo Sena. Por causa da falta de emprego, ele teve que interromper o estudos. "Teve corte na empresa, e eu tive que sair. E então, obviamente, eu tive que trancar os estudos, porque quem estava mantendo os estudos era eu”, afirma.
A operária da construção civil Carolina Alves, de 22 anos, conta que, para manter o emprego teve que deixar os estudos de lado por um tempo. Ela sonha se formar em Direito. “Eu sou rejuntadora de pisos, mas está muito fraco de serviço. Eu sei que preciso estudar, mas não tenho tempo. Ou eu trabalho para a judar a minha família e a mim, ou eu estudo", diz.
A construção civil foi um dos setores que registraram maior perda de vagas este ano, no mercado de trabalho em Salvador e região metropolitana, atrás dos setores de serviços, comércio e indústria.
Enquanto na capital baiana a taxa de desemprego saltou de 9%, no ano passado, para 11,9%, a media nacional ficou em 6,9%.
De acordo com Joilson Rodrigues, coordenador de informações do IBGE, a realidade é fruto da crise econômica. “No momento em que a economia está sofrendo menor dinamismo, é natural que ela oferte menos oportunidades de trabalho. E no momento em que o empregador busca um empregado, vai buscar entre aqueles que são mais experientes, que têm mais qualificação" diz.
Para ele, a saída para os profissionais mais jovens é continuar se qualificando. "No momento em que a economia voltar a aquecer, ela vai buscá-los no mercado, e então é importante que os encontrem qualificados para ocupar essa vaga”, conclui.Fonte/G1.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário