segunda-feira, 4 de maio de 2015

Seduc, Copener e Icep capacitam professores, técnicos, diretores e coordenadores em Inhambupe

Termina nessa quinta-feira (dia 30), a capacitação realizada durante toda a semana Pelo Instituto Chapada de Educação (Icep), em parceria com a Seduc e a Copener, durante toda a semana com professores da educação infantil dos ciclos 1 e 2 (que contemplam alunos do primeiro ao quinto ano) e com equipe técnica, diretores e coordenadores pedagógicos do quadro da Secretaria de Educação de Inhambupe, lotados na sede e na zona rural do município.
DSC_0009De acordo com Joselice Santos de Andrade Silva, que é diretora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação e coordenadora do curso de formação do Instituto Chapada, realizado em parceira com a BSC/Copener e a Prefeitura de Inhambupe, “esse é o primeiro de uma série de oito encontros nos quais o Instituto Chapada nos ajudará a melhorar nossas questões pedagógicas”, sintetizou.
Joselice ressaltou ser essa formação de vital importância na contribuição da formação pedagógica na prática, na sala de aula, e não só na teoria, que é uma questão que vem sendo muito solicitada pelos professores. “O Instituto vai justamente nos ensinar como essa teoria pode ser aplicada em nossa prática, em sala de aula”, disse.
Cleodiana Barbosa, professora do primeiro ano da Escola Francisca Pinto de Cardosa, ensina há 13 anos no município. Para ela, o interessante na didática do Instituto Chapada é o fato de que toma por base o instrumento do diagnóstico. “Primeiro procura saber do aluno o que ele sabe, até onde ele sabe e o que ele precisa saber. Partindo daí, eles vão nos dar instrumentos, ferramentas, orientações de como o aluno pode melhorar o seu aprendizado”.
DSC_0002
DSC_0002A professora ressalta que, ao contrário de outras instituições, o Instituto Chapada parte do princípio de identificar primeiro o que é que o aluno não sabe, e como ele aprende, para aí então orientar o professor a instrumentalizá-lo para que ele possa estar no final de cada série habilitado a aprender aquele determinado conteúdo. “O professor tem que ter o compromisso de aprender, aplicar e fazer com que o aluno aprenda. As crianças hoje carecem de ter domínio da leitura e da escrita. Sendo assim, ele vai ter um bom aproveitamento ao final do ano com seus alunos”, completa.
Já a professora Maria Célia, que trabalha na Creche Municipal de Inhambupe, com turmas do maternal, de crianças até 3 anos de idade defende a importância da Educação Infantil como sendo a base de tudo. “Se a criança tem uma boa pré-escola ela tem tudo para se desenvolver em sua vida escolar”, simplifica. “A gente trabalha mostrando à criança que educação é a melhor coisa do mundo”.
Ela, que já trabalhou com turmas multiseriadas de primeira a quarta série na zona rural do município, ressalta a importância das brincadeiras e jogos no trabalho com a educação infantil.  “A ludicidade é importante porque muitas crianças vêm de famílias que não têm tempo, não brincam nem conversam com seus filhos. Tem crianças que vêm de famílias desestruturadas, com pais drogados. Muitas chegam chorando, tem outras que não falam, estão traumatizadas de medo. E aqui, quando fazemos brincadeiras elas ganham confiança e acabam falando, interagindo com as outras”, conta.
DSC_0015A secretária de Educação Iranilda Figueiredo se disse satisfeita pelo fato da Seduc ter abraçado essa parceria do projeto Educar com você, da Copener, com os municípios, com a participação do Instituto Chapada de Educação. No caso, o Programa Agreste, do qual participam os municípios de Itanagra, Entre Rios, Inhambupe e Cardeal da Silva. “Trata-se de um trabalho de formação continuada com coordenadores, diretores e professores da educação infantil, até o quinto ano. Nós esperamos que a formação continuada venha a completar os professores na sua prática na sala de aula”, pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário