terça-feira, 3 de março de 2015

Conheça os passos para fazer carreira no Google

Para conquistar uma vaga em uma das mais desejadas empresas do mundo, a Google, por exemplo, é preciso muito mais que conhecimento técnico e teórico.
Inteligência emocional e conhecimento sobre a empresa onde se pretende trabalhar, bem como seu mercado de atuação, são hoje algumas das características esperadas pela maioria dos empregadores.
De acordo com o professor Agnaldo Freire, do Instituto Federal Baiano, saber trabalhar em equipe, buscar capacitação acadêmica por meio de especializações e ser criativo já é "meio caminho" andado para o sucesso profissional.Universidades
"Programas de intercâmbio, marketing pessoal, gestão de finanças pessoais, formação de networking, envolvimento voluntário em projetos sociais são valorizados em processos seletivos do Google", observa.
Atualmente, as grandes empresas estão em busca de bons profissionais dentro das universidades. Conforme Cecília Spinola, coordenadora de trajetórias e empregabilidades da Unifacs, o estudante, durante a sua vida universitária, deve se envolver em projetos que complemente a sua formação.
"No mundo contemporâneo, em que o conhecimento e a inovação são a base para a competição empresarial, as organizações buscam profissionais que sejam flexíveis e que demonstrem capacidade de aprender a aprender e em variadas áreas de conhecimento", afirma Spinola.
De olho nas oportunidades, o estudante de ciência da computação Rodrigo dos Avelar já fez intercâmbio e agora aposta no estudo de um terceiro idioma.
"Hoje sou fluente em inglês e estudo espanhol. Não perco cursos rápidos e congressos, mesmo em áreas periféricas. O mercado quer quem sabe além da sua área de atuação", constata.Criatividade pode ser estimulada
O desenvolvimento de habilidades, tanto acadêmicas quanto emocionais, não é tarefa apenas do estudante. As instituições de ensino também têm sua responsabilidade nesse assunto.
De acordo com a coordenadora do Centro de Carreiras da Unijorge, Maria Alessandra Calheira, as IES precisam estimular a criatividade dos alunos permanentemente com recursos tecnológicos e encorajamento para novas experiências fora de sala.
"Cada profissional que precise utilizar a criatividade como uma ferramenta do seu trabalho deve saber reconhecer a inovação. E as instituições precisam acompanhar essa demanda do mercado", disse Calheira.
Habilidades

No caso específico do Google, como observa a coordenadora, a busca é por profissionais com raciocínio rápido, capacidade de solucionar problemas, visão de futuro e muita criatividade, características que podem ser desenvolvidas pelas IES.Há, ainda, a capacidade de desenvolver projetos individualmente, apesar de saber trabalhar em equipe. "O estudante deve também dominar ferramentas para os cargos técnicos, que correspondem a cerca de 50% das ofertas existentes".
Assim, o planejamento de carreira deve começar durante o curso superior, de preferência logo no início.
Para o especialista em coaching Marcus Antonio de Freitas, pedir orientações de professores e coordenados bem posicionados no mercado é uma boa dica. "São pessoas com visão ampla que ajudam a traçar metas para a carreira", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário