segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Otto Alencar fala sobre seu futuro mandato como senador da Bahia

Atual vice-governador esteve conversando com o apresentador Raimundo Varela O vice-governador e senador eleito na Bahia, Otto Alencar, esteve no programa Balanço Geral, na manhã desta sexta-feira (10) e conversou com o apresentador Raimundo Varela para falar como será sua atuação como senador da Bahia.  
 Otto conta que sua vitória não o surpreende tanto, já que ele tem uma história de trabalho e serviços prestados a Bahia de muito tempo e tinha convicção que seu trabalho seria reconhecido. “Tive mais de 1 milhão de votos de frente, na véspera dava que eu tava empatado com o segundo colocado, foi um erro muito grande, mas nossa pesquisa interna dizia o contrário, estava confiante”.
Sobre os erros nas pesquisas realizadas pelo Ibope, Otto Alencar, o senador eleito relata que instituto tem errado permanentemente no estado deste 2006, e que esse tipo de pesquisa deve ser revista, já que a Bahia tem mais de 2 milhões que moram na zona rural e que não são pesquisados.
Ao ser questionado sobre qual será a principal bandeira de seu mandato como senado, Otto Alencar conta que desde eleito só pensa no que pode fazer dentro do senado da República. “Não quis disputar cargo executivo, como disse na propaganda, lutarei pela reforma, não dá mais para segurar a falta de verba para a saúde, para a infraestrutura, para a segurança”.
Varela perguntou sobre o orçamento da saúde para o ano que vem, que será de R$ 109 bilhões. Otto diz que esse valor é muito curto, que precisamos de, no mínimo 8 a 10% do orçamento da União para a saúde, pois o custeio operacional é caríssimo. “Hoje, na Bahia, 80% da população, depende do SUS e nós temos que ter mais PSF, UPA, hospitais. Tenho uma proposta de colocar o importo do cigarro na saúde”.
Otto também foi questionado sobre o Código Penal, o senador eleitor respondeu que tem que existir uma reforma na lei de execução penal imediatamente, pois a lei de execução penal imediatamente, o código penal é bom para o criminoso. “Precisa ser previsto também mais investimento para as prisões”.
O senador eleitor terminou falando sobre a reforma eleitoral, “Cargo executivo não me interessa, quero lutar pelas reformas, da revisão da legislação. Vou buscar a Reforma eleitoral, tentar acabar com a reeleição, que na minha opinião tem suscitados nos maiores escândalos do Brasil e o voto deveria ser facultativo”, conclui Otto.  varelanoticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário