quarta-feira, 15 de outubro de 2014

“O Sonho de Antônio” marca a estreia de lavrador aposentado na literatura

  O escritor Antônio Batista de Santana, de 66 anos, vai lançar no próximo dia 31, às 19h, no Centro de Convenções e Cultural de Inhambupe o seu livro de estreia “O Sonho de Antônio”, uma fábula urbano-rural narrada em forma de cordel, no qual o autor mistura ficção e realidade para tratar de temas como ambientalismo, religiosidade, bebedeiras, mulheres e a sua própria história de vida.Lavrador aposentado, pai de seis filhos, e quinto filho de um casal simples de lavradores, seu Pedro e dona Maria, Antônio aprendeu a ler e escrever muito cedo para a realidade no meio rural, aos 8 anos, autodidaticamente. Mas o gosto pela literatura só veio despertar aos 60 anos quando entrou para uma turma do EJA e foi incentivado pela professora a colocar no papel tudo o que aflorava de sua imaginação.De lá para cá ele passou a escrever diariamente, à mão, em cadernos que guarda a sete chaves, sobre diversos assuntos que vêm à sua mente, através de pensamentos, ou programas que assiste na televisão ou ouve no rádio. Recentemente, terminou um curso de informática ministrado pelo Departamento da Mulher da Secretaria de Assistência Social de Inhambupe e avisou que em breve pretende comprar um computador para guardar todos os seus escritos. “E eu tenho ainda muito mais histórias para contar”, avisa, entusiasmado. 

 O Sonho de Antônio” tem 32 páginas e é dividido em seis capítulos: o primeiro, “Louvor a Maria”, fala sobre a mãe de Jesus; “O duelo do Pastor e o Cascão” narra uma disputa sobre quem sabe mais sobre a Bíblia; em “Invasão da bicharada”, o autor aborda, com humor, os problemas causados pelo desequilíbrio ambiental e a consequente invasão das cidades pelos bichos; o quarto capítulo, intitulado “O Papa Pinga”, faz uma comparação entre os “biriteiros” pobres e os ricos: enquanto os primeiros se contentam com doses de cachaça, esses últimos saboreiam uísques importados; no penúltimo capítulo, “O filho ingrato”, Antônio conta a história de um filho único que detona a fortuna herdada do pai com bebida, farras e mulheres e acaba na sarjeta; o livro encerra com o conto “Meu Passado”, um texto autobiográfico, no qual o autor narra as diferenças existentes entre o tempo em que vivia na roça, onde ouvia o canto dos pássaros, e quando passou a morar na cidade, onde impera o barulho dos motores.
 O livro é fruto do edital Calendário das Artes 009/2013, com o apoio financeiro da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Governo do estado da Bahia, e Secretaria de Cultura da Bahia.  E o apoio cultural do Departamento de Cultura da Prefeitura de Inhambupe.  A obra foi editada também em forma de CD para que, segundo o coordenador de Cultura do município Lindivaldo Campos, “possa permitir um maior acesso às pessoas, através do áudio”. Lindivaldo acrescenta que, esse incentivo, “irá permitir que o artista possa caminhar com as próprias pernas”.
O coordenador de Cultura explica ainda que, na ocasião do lançamento, será feita uma programação cultural diferenciada, com diversas apresentações, dentro da temática do livro, de artistas locais e regionais. Ele avisa também que todas as escolas da rede municipal, estadual e particular de Inhambupe receberão um exemplar o livro e do CD. E todos os 22 municípios do território do Litoral Norte também vão receber um kit para suas bibliotecas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário